Já há um bom tempo, andamos vendo histórias emocionantes sobre amizades que se formaram em meio à vida no Sea of Thieves. Mas uma história em particular nos chamou a atenção, nós simplesmente tínhamos que saber mais sobre ela.

Então, nesse especial de Dia dos Namorados, o Destaque da Comunidade recai sobre Dan e Mia, também conhecidos como Cap’n “Scruffy” Beardstroker e MidAngelWing, que se conheceram devido a um interesse mútuo por rimas e uma paixão pelo Sea of Thieves. O relacionamento deles floresceu tanto dentro quanto fora do jogo e, depois de uma missão de enigma da vida real, com um pedido de casamento nas paisagens do Lake District, os dois agora estão noivos!

Nós falamos com eles para descobrir mais sobre como esse relacionamento nasceu e ouvir mais sobre suas aventuras juntos pelos mares...

Parabéns pelo noivado, Scruffy e MidAngelWing!

[P]: Conte-nos um pouco, o que fez vocês entrarem para o mundo dos games?

[R]: Scruffy: “Arrgh, meu amor por games vem lá de trás, quando ainda criança descobri que nisso eu era muito perspicaz.”

Sou gamer desde o dia em que minha mãe me comprou um Atari 2600, quando eu tinha por volta decinco anos e me divertia com jogos como Dark Chambers, Dig Dug e Space Invaders. Daí eu passei para o Game Boy, Mega Drive, PlayStation e depois um Xbox conforme fui ficando mais velho, descobrindo e mantendo esse amor pelas aventuras e experiências que os jogos podiam proporcionar.

MidAngelWing: Bom, meu pai já havia entrado nesse mundo. Eu cresci com meu pai e nós adorávamos jogar juntos. Eu estava sentada no colo dele e ainda me lembro que o primeiro jogo que jogamos juntos foi Doom, isso lá no começo dos anos 90. Ele andava e eu atirava, eu era muito ruim. Daí nós compramos um Commodore 64 e eu jogo desde então.

[P]: Vocês já eram fãs da Rare antes do Sea of Thieves? Vocês têm algum jogo favorito da Rare?

[R]: Scruffy: “Claro, eu era um grande fã, e continuo sendo, desde quando vi o logo da Rare em minha tela aparecendo.”

Eu sempre adorei os jogos feitos pela Rare, desde quando eu nem sabia de verdade quem ela era. Tem uma coisa no estilo visual que parece transpassar por todos os jogos, o que simplesmente me faz sorrir. E você também pode sempre contar com um jogo da Rare pra te fazer rir... menos no caso do Battletoads. Perdi controles demais naquele jogo!

Se eu tivesse que escolher um jogo da Rare (além do Sea of Thieves, claro), seria Conker’s Bad Fur Day. É um dos meus jogos favoritos de todos os tempos, na verdade. O humor naquele jogo ainda hoje me faz sorrir, e eu adoro jogá-lo novamente de tempos em tempos.

MidAngelWing: Sim, muito. Lembro-me de quando Digger T. Rock foi lançado, eu era só uma garotinha na época, mas eu jogava aquilo o tempo todo. Eu cresci muito sozinha, então jogar era minha válvula de escape do mundo.

[P]: Quais outros jogos vocês estão jogando no momento? Algum favorito?

[R]: Scruffy: “Bom, tenho um gosto muito eclético, devo afirmar, mas se tiver uma boa história, com certeza eu vou jogar. Temo que battle royale não costuma animar, mas sobre os encantos de Spyro e Red Dead sempre vou cantar.”

Eu tenho muitos jogos sem terminar em minha biblioteca no momento, não tem nem graça. E eu sou um jogador multiplataforma, então tenho um catálogo de jogos que engloba Xbox, PC, PlayStation e os consoles da Nintendo. Contudo, sempre que tenho tempo pra jogar, acabo de alguma forma voltando para o Sea of Thieves.

Eu consegui completar uma jogatina do remake do Resident Evil 2 recentemente e gostei bastante. Também tenho me divertido com Red Dead Redemption 2, Spyro Reignited Trilogy e State of Decay 2.

MidAngelWing: Call of Duty: Black Ops III, State of Decay 2, Jurassic World Evolution, Diablo III. Um favorito? Aí já é difícil. Por mais que eu goste de todos os jogos por motivos diferentes, eu ainda escolheria Sea of Thieves. Principalmente por ele me deixar ser eu. Eu posso simplesmente velejar sem me preocupar com nada.

[P]: O que foi que mais atraiu vocês para o Sea of Thieves e sua comunidade?

[R]: Scruffy: “Arrgh! Foi meu amor pelo mar que veio logo me atrair, e a possibilidade de ser um pirata logo me fez sorrir.”

Bom, quando eu vi os primeiros vídeos de revelação do jogo, já pensei “um jogo de piratas da Rare... Tô dentro!”. Porém, quando descobri que ele teria uma espécie de mundo compartilhado, desanimei um pouco, já que isso nunca foi muito a minha praia.

Por causa disso, infelizmente eu perdi as primeiras demos e não dei mais bola pro jogo até ver um Achievement Hunter Let’s Play, no YouTube, pouco antes do lançamento do jogo. Ver eles jogarem e criarem suas próprias aventuras deu aquele estalo em minha imaginação, logo eu PRECISAVA daquele jogo. O fato dos caras jogando terem falado com sotaque de pirata durante todo o vídeo foi só a cereja do bolo.

O que me atraiu para a comunidade foi a minha irmã (Mad Madam Pegleg) e sua insistência para que eu postasse as cantigas que fazia após cada viagem, para que os outros vissem. Eu criei uma conta no Twitter para fazer isso e aí comecei a ver todas aquelas outras pessoas incríveis postando vídeos, fotos e histórias sobre suas jornadas. Daí eu comecei a assistir transmissões de pessoas como o Captain Daggers McTimbers, FrostE e Captain Carrillo, que me faziam sorrir e querer participar daquilo.

A positividade que parecia fluir por toda a comunidade era incrível. E também, quando eventualmente eu tive a oportunidade de velejar com piratas como Captain Balzonia e Captain Nightmare, isso me atraiu ainda mais e eu logo formei amizades que hoje não consigo viver sem.

MidAngelWing: Eu sigo o Markiplier no YouTube, e um dia ele estava jogando e eu assisti ele jogar algumas vezes. Lembro-me de no começo não ter achado grande coisa, não conseguia me imaginar jogando, mas quando o jogo apareceu no Game Pass, pensei em testá-lo e estou viciada desde então.

Postando meus próprios vídeos, no YouTube e no Twitter, acabei cruzando com alguns jogadores que estavam jogando SoT e comecei a segui-los e conversar com eles. Eventualmente comecei a velejar com alguns deles, e só de ver o apoio que deram a mim e a outros já é incrível. Tendo jogado muitos MMORPGs, tenho que admitir que nunca vi outra comunidade tão unida e prestativa quanto essa aqui.

Um encontro romântico para dois: carregar um canhão sob o pôr do sol.

[P]: Saber que vocês dois se conheceram por meio do Sea of Thieves é incrível! Podem nos contar um pouco mais sobre como vocês se conheceram?

[R]? Scruffy: “Bom, estava eu um dia em meu navio, com essa minha perna de pau coçando e dando arrepio, quando de repente meu coração começou a cantar, ao ouvir a voz da Srta. MidAngelWing no ar ecoar.”

Nós nos falamos uma vez pela comunidade do Twitter, eu escrevi uma pequena cantiga pra ela quando vi que a descrição do perfil dela estava escrita em rima também. Depois disso, começamos a velejar juntos por causa de um amigo em comum (O Temível Captain Trident), e o resto é história. Nós nos apegamos imediatamente e basicamente começamos a conversar e velejar todos os dias depois daquilo.

[P]: Como o Sea of Thieves contribuiu na construção dessa relação, depois que vocês dois se conheceram?

[R]: Scruffy: “Por mais de nove mil quilômetros ele conseguiu nos unir, e ainda hoje é um dos motivos que nos faz sorrir.”

Enquanto eu sou do Reino Unido, MidAngelWing é originalmente da Dinamarca, e estava vivendo lá quando nos conhecemos (nos mares). Sem contar que, sem o Sea of Thieves, as chances de nos encontrarmos seriam praticamente nulas, foi o fato de podermos subir em um navio toda noite e termos algo para fazer enquanto conversávamos e nos conhecíamos, que realmente ajudou a desenvolver nossa relação. Nós tínhamos esse amor conjunto pelo jogo, o que fazia tudo parecer fácil. Honestamente, nós nunca planejamos para que nada disso acontecesse, nós só começamos como amigos nos mares e o sentimento simplesmente foi crescendo com o tempo.

[P]: O que vocês consideram como suas coisas favoritas, sobre fazer parte da comunidade do Sea of Thieves?

[R]: Scruffy: “Seria todos os piratas que pude conhecer, e encontrar o amor da minha vida, a maior conquista que eu poderia ter.”

É bem difícil descrever com palavras. Eu nunca me envolvi tanto com a comunidade de um jogo antes. Segundo o que costumo ouvir de outras pessoas, elas costumam ser cheias de personalidades agressivamente competitivas ou tóxicas, com o único objetivo de magoar as pessoas. Porém, a comunidade do Sea of Thieves é totalmente o oposto. Todo mundo é tão prestativo e amigável, fazendo sempre o possível pra te animar quando você está triste, ou vibrar com você quando está feliz. No Twitter, principalmente, eu sempre sinto que posso ser eu mesmo e adoro as reações que recebo de todos quando os respondo com pequenas rimas, etc.

Minha coisa favorita sobre ser parte da comunidade é, obviamente, o fato dela ter permitido que eu conhecesse minha futura esposa, mas, depois disso, acho que seria a grande quantidade de amigos que fiz e com os quais posso sempre contar. Mesmo esse sendo um jogo sobre piratas assassinos e ladrões, ele parece ter atraído a comunidade mais bondosa e prestativa que já vi.

MidAngelWing: O apoio, a compreensão e a construção de amizades ao redor do mundo. As pessoas não veem uma garota jogando, veem apenas um jogador. Elas não veem idade, veem apenas um jogador. Claro, vez ou outra encontramos aquele chato que quer aparecer, mas eles não duram muito nessa comunidade . É como se fosse uma segunda família que você nem sempre vê, mas sabe que eles estão lá, e a maioria deles vai te apoiar.

[P]: Além de quando se conheceram, vocês têm algum outro momento de destaque no Sea of Thieves no qual tenham vivido juntos?

[R]: Scruffy: “Arrgh, foi um dia terrível, lembro-me bem, pois encontrar aquele baú quase me mandou para o além.”

MidAngelWing?Bom... Na primeira vez que jogamos com a irmã do Scruffy, partimos em uma missão dos Acumuladores de Ouro e estávamos em uma ilha bem pequena. Eu e a irmã dele tínhamos escavado alguns baús e estávamos esperando ele pegar o último, enquanto conversávamos. Foi quando percebemos que não ouvíamos a voz dele já há algum tempo.

Eu o chamei e recebi só um grande suspiro como resposta. Perguntei o que havia de errado e ele nos contou que estava com problemas, então a irmã dele saiu correndo para encontrá-lo e se deparou com 50 buracos diferentes na praia e o Scruffy ainda tentando localizar o baú. Ela olhou no mapa, cavou a areia com sua pá e encontrou o baú na primeira tentativa. Ele então virou, e ,sem falar nada, começou a andar em direção à água para tentar se afogar por tamanha vergonha. Nós ainda tiramos sarro dele por isso.

Scruffy e MidAngelWing decidindo quem vai carregar o canhão na próxima...

[P]: Uma pergunta para você, Scruffy: qual a história por trás de suas rimas? Como você as inventa?

[R]: Scruffy: “Tudo começou por diversão, no fim de cada missão, escrevendo sobre cada crânio e baú que parava em nossa mão. É difícil, às vezes, fazer tudo rimar, mas na vida de um bardo pirata isso é de se esperar.”

A origem de minhas cantigas vem desde quando assistia os caras do Achievement Hunter jogando o jogo e ouvia o Michael Jones (ou Peg Pecker) resumindo suas jornadas com uma cantiga ao final dos vídeos. Isso me inspirou a começar a fazer o mesmo sempre que eu e minha irmã partíamos para o mar. Antes de me envolver com a comunidade, eu não tinha muitos amigos que gostassem de jogos, além da minha irmã. Então, sempre que jogávamos, era só nos dois velejando por algumas horas, algumas vezes, por uma semana.

Eu escrevia pequenos versos conforme jogávamos e depois juntava-os no final para recitá-los, enquanto ficávamos no cordame tocando ‘Abonançado’. Era só um jeito divertido de encerrar a noite. Daí eu desenvolvi um plano de fundo inspirado em Sea of Thieves no Photoshop, para digitar minhas cantigas nele... foi quando minha irmã me convenceu a começar a postá-los online. Quando eu comecei a ganhar seguidores no Twitter e eles deixavam comentários legais sobre minhas cantigas, pensei que seria divertido manter essa persona de ‘Bardo Pirata’ e comecei a responder a todos com pequenas rimas.

Com mais de 2000 postagens agora, todas escritas em rima, eu meio que arrumei sarna para me coçar. Agora eu vejo rimas até em meus sonhos e, às vezes, me pego até rimando inconscientemente em meu dia a dia também. Sobre como eu as invento... Eu realmente não sei. Eu só penso no que quero dizer e tento construir um verso em rima em torno disso. Há dias que tentar encontrar a rima certa quase me deixa louco.

[P]: O que vocês mais esperam ver no futuro de Sea of Thieves?

[R]: Scruffy: “Por outras grandes aventuras com minha tripulação eu estou esperançoso, e também quero ver, pelo menos uma vez, aquele maldito Fantasma Nebuloso.”

Essa é difícil. Eu acho que o escopo do que pode chegar ao jogo é infinito, fico muito empolgado tentando imaginar quais as novas áreas que vocês devem estar trabalhando, os novos inimigos que vocês devem estar preparando e as novas mecânicas de jogo que devem ter em mente. Mas acima de tudo, para mim, as coisas com as quais mais me divirto, em cada lançamento de novos conteúdos, são as histórias que enriquecem o mundo do jogo e os personagens que as acompanham. Claro, algum tipo de evento comunitário onde as cantigas feitas pelos jogadores são inseridas no jogo não seria de todo mal... fica a dica!

MidAngelWing: Honestamente, é bem difícil de responder. Estou ansiosa para ver como o jogo se desenvolverá com o passar do tempo, mas mascotes são algo que quero muito.

Piratas inseparáveis dividindo um momento de silêncio entre ataques de Kraken e esqueletos...

[Q]: Qual é a maior conquista de vocês em um jogo, seja ou não em Sea of Thieves?

[R]: Scruffy: “O dia em que eu me tornei uma Lenda acompanhado por minha tripulação, quando a escadaria para o Esconderijo apareceu no chão.”

Eu tive muitos grandes momentos em minha vida de jogador, quando senti que havia conquistado coisas grandiosas, seja obter certas conquistas ou simplesmente finalizar jogos muito difíceis. Mas a melhor sensação que já tive foi quando eu me tornei uma Lenda Pirata e Captain Daggers, Captain Ballzonia e Chris Marlow estavam todos lá para celebrar comigo. Ouvir aquela cantiga especial e poder ver o Esconderijo pela primeira vez foi algo incrível. Nunca vou me esquecer daquele momento.

MidAngelWing: Isso aconteceu no início dos anos 2000. Eu estava em um cybercafé com um velho amigo que ia jogar Counter-Strike e me perguntou se eu queria jogar também. Eu disse que sim e me sentei. Eu nunca havia jogado aquele jogo antes e era a única garota ali, então fui com calma e entrei no jogo. Começou tudo muito bem, eu matei vários da equipe inimiga, e continuou assim por 20 minutos, quando eu atirei em um cara pela quarta vez. Quando de repente, eu ouvi o cara gritar: “Quem diabos é SilverRain?!” Eu ergui a mão e acenei para ele. Ele levantou e saiu do prédio furioso, gritando conforme ia: “Eu perdi para a droga de uma garota?” Eu adorei aquela sensação e ainda me lembro até hoje.

[P]: Se você tivesse que escolher um nome pirata, qual seria?

[R]: Scruffy: “Meus inimigos me conhecem como Cap’n Beardstroker e sou Scruffy para minha tripulação. Por que Beardstroker? Ninguém sabe, salvo alguns, por exceção.”

Cap’n “Scruffy” Beardstroker é meu nome pirata... Vou deixar no ar para tentarem imaginar o porquê.

MidAngelWing: Nossa, vocês só fazem perguntas difíceis... Eu nunca pensei nisso. Talvez “Boom Barrel Bella”. Eu gosto de barris explosivos e meu nome do meio é Bella.

Scruffy e MidAngelWing relaxando em casa!

[Q]: Além de jogos, quais outros hobbies vocês têm?

[R]: Scruffy: “Velejar pelos mares e ser um pirata é o primeiro item dessa lista. Ainda assim, apesar de admirar essa vida, não nego que um marinheiro de água doce em mim exista.”

Meus hobbies principais, além de jogar, incluem estudar o design de jogos (esperando que aquela grande oportunidade de mudança de carreira surja um dia), alguns trabalhos freelance de design gráfico e escrita de ficção (no momento, estou trabalhando em meu terceiro livro de publicação independente sob o pseudônimo de DTAngell).

MidAngelWing: I faço crochê, desenho, escrevo livros e tento fazer meus vídeos. Eu também invento uns joguinhos bobos dentro do SoT como o esconde-esconde pirata... pois é...

[P]:Digam um fato engraçado sobre vocês. Pode ser qualquer coisa!

[R]: Scruffy: “Arrgh, então algo engraçado sobre mim você quer saber, deixe-me ver, o que poderia ser...”

Eu adoro cantar as músicas da Disney no chuveiro.

MidAngelWing: Eu faço imitações de criaturas de filmes e séries de TV, como o Gizmo dos Gremlins, Pikachu e o Stitch de Lilo e Stitch. Também consigo fazer uma Fran Fine malvada, do The Nanny, quando ela começa a rir, mas eu preciso estar resfriada pra fazer essa!

E assim termina outro Destaque da Comunidade. Nem é preciso dizer que a equipe se enche de alegria ao ouvir as histórias dos laços que se formam na comunidade, especialmente aqueles como este, que mostram o quanto os jogos podem aproximar as pessoas. Para Scruffy e Angel, ou Dan e Mia se preferirem, nós desejamos muita sorte no futuro e esperamos ver vocês nos mares abertos!

Por enquanto é isso, mas voltaremos com outro Destaque da Comunidade num futuro não tão distante. Até lá, fique ligado em nossas redes sociais para saber sobre as últimas novidades do Sea of Thieves.