Em nosso mais recente Criador em Destaque está ninguém menos do que Carrillo (e toda a sua gangue). Vestindo seu espetacular traje de capitão, ele chegou para garantir que estejamos todos em ordem! Nós fizemos algumas perguntas sobre suas Jornadas pelos mares até agora e quais as experiências obtidas com essas viagens.

Tem interesse em se inscrever para a Tripulação de Criadores do Sea of Thieves? Saiba mais aqui.


[P]: Como você entrou no mundo dos jogos?

[R]: Bem, é difícil lembrar exatamente quando eu comecei a jogar, mas uma das minhas melhores memórias remete a quando eu era criança na véspera de Natal, acho que tinha no máximo 5 anos. Meus pais estavam separados naquela época e meu pai veio até a minha casa depois do trabalho para entregar meu presente, a casa estava cheia de familiares, todos estavam celebrando. Foi uma surpresa fantástica para mim, o presente aquele ano foi meu primeiro console, um Sega Genesis com o jogo Aladdin. Eu diria que foi lá que tudo começou. Passei horas tentando zerar aquele jogo, mas nunca consegui passar a fase Cave of Wonders. Quem sabe algum dia eu tente mais uma vez durante a minha jornada de criação de conteúdo.

[P]: Como você começou a fazer parte da comunidade do Sea of Thieves?

[R]: Igual a vários outros marinheiros por aí, meu amor pelo jogo começou lá atrás quando assisti o trailer na E3 2016, seguido pelo vídeo de revelação da jogabilidade em que um bando de marinheiros eram lançados ao mar uns contra os outros. Foi um momento realmente mágico para mim. Na hora soube que EU QUERIA JOGAR ESSE JOGO! Eu não tinha dúvidas, sabia que Sea of Thieves tomaria conta da minha vida. Depois daquela noite, comecei a acompanhar o jogo em todos os lugares, participei nos testes Alpha e, depois, no Beta, fiz vídeos e tudo mais! O resto é história.

[P]: Como a criação de conteúdo se tornou a sua “arte”?

[R]: Logo cedo eu percebi meu amor pela criação. Eu tinha uns 15 anos na época em que realmente comecei a me questionar o que faria da vida depois do ensino médio. O YouTube estava começando a ficar gigante na Internet, e eu era um jogador muito competitivo naquela época. Comecei fazendo upload de vídeos de jogos competitivos sem comentários, gravados em uma câmera digital barata que filmava a minha TV. Eventualmente, conheci as placas de captura e pedi aos meus pais uma placa Dazzle de Natal.

Depois, eu comecei a gostar de vários tipos de músicas e jogava ao som de música alta com muitos graves. Comecei a ter ideias e cenários na minha cabeça de vídeos totalmente editados com músicas épicas, aí um dia eu pensei: “quer saber? Vamos tentar”. Levei muito tempo para aprender a editar vídeos razoáveis, mas chegou um momento em que muita gente da comunidade de Gears of War vinha falar comigo para que eu editasse as montagens deles. Eu passei muito tempo fazendo isso, e fazia bem, mas ficou entediante, como quase tudo, e eu quis buscar algo novo.

Foi aí que conheci o PewDiePie e isso REALMENTE deu o pontapé inicial. Fale o que quiser sobre ele, mas ele está no mesmo patamar das pessoas que inspiram o meu tipo de conteúdo. Eu parei de fazer montagens e comecei a jogar títulos de terror e tal, publicando Let’s Plays aos montes no meu canal. Então, faço isso há um bom tempo já, comecei com 15 anos e, agora, tenho 29, mas eu diria que venho fazendo isso em tempo integral só há cerca de 6 anos.

[P]: Como você decide qual tipo de conteúdo criar?

[R]: Esse processo evoluiu significativamente ao longo dos anos. Como eu disse antes, comecei fazendo montagens para jogadores aleatórios que eram muito melhores em matar sequências de inimigos em lutas PvP do que eu jamais seria. Também participei de competições de edição, mas nessa época eu fazia parte de uma equipe, então era tudo bem estruturado.

Quando passei a trabalhar sozinho e comecei minha jornada de criação de conteúdo, fazia de tudo um pouco. Eu comprava jogos aleatórios que pareciam ter potencial para explodir algum dia e criava séries Let’s Play de todos eles. Acabou sendo uma grande perda de tempo no final. Em vez disso, tentei concentrar todo o meu tempo em um único jogo. Isso foi antes do lançamento de Sea of Thieves, na época eu estava jogando um jogo de luta chamado For Honor e meus vídeos faziam bastante sucesso naquela comunidade. Usando todas as minhas habilidades, aprendi que era bem fácil criar conteúdo dependendo do que estava acontecendo, uma nova atualização que precisava ser analisada ou algum bug crítico que estava sendo explorado. Seja o que fosse, eu cobria tudo IMEDIATAMENTE e nos dias normais em que não havia nada novo para falar eu fazia conteúdo sobre o meu personagem ou classe de lutador favorito.

Muitas vezes eu tenho algumas ideias para vídeos do nada, que preciso pôr em prática porque não saem da minha cabeça. A maioria das minhas ideias ultimamente são de vídeos épicos bem curtos sobre coisas que acontecem comigo durante as minhas aventuras nos mares. Mas não importa o que eu esteja fazendo, seja um vídeo inteiro de 15 minutos ou um curto de 2 minutos para o Twitter, EU PRECISO me divertir. Meu principal objetivo é fazer as pessoas rirem. Eu adoro criar um lugar para que as pessoas venham curtir e relaxar, e esquecer de tudo que está acontecendo ao meu redor, por isso tento não ser tão sério quando estou criando conteúdo. Mesmo que o meu conteúdo tenha mudado muito ao longo dos anos, essa é uma coisa à qual sempre fui fiel. É só uma questão de se divertir e curtir o que faz.

[P]: Quais foram alguns dos desafios que você enfrentou ao criar conteúdo?

[R]: Enfrentei diversos obstáculos e desafios durante a minha jornada, muitos relacionados a aprender como o sistema funcionava e o que eu podia e não podia fazer. Ao fazer vídeos, serão necessários alguns itens essenciais, como música. Às vezes, os jogos que eu jogava tinham músicas com direitos autorais neles e eu acabava precisando cortar uma boa parte do vídeo. Há serviços pagos que oferecem acesso a bibliotecas gigantes de músicas que podem ser usadas sem se preocupar com direitos autorais e, se você é alguém que gasta muito tempo criando conteúdo, esses serviços podem SALVAR SUA VIDA.

Outro desafio enfrentado ao longo dos anos foi a edição. Mesmo que eu tenha alcançado certa proficiência na edição de vídeos, eu também passei a odiar editar coisas, que é um dos principais motivos pelos quais eu parei de enviar vídeos com tanta frequência para o YouTube. A edição se tornou muito onerosa para mim e sinto que realmente contribuiu para o meu estado mental ruim durante todos esses anos. Eu aprendi que é melhor não dedicar tanto tempo nisso. Você pode fazer a melhor edição do mundo, mas, honestamente, não vale o todo o tempo perdido dia após dia. Eu percebi que um vídeo minimamente editado terá o mesmo resultado da sua melhor edição, se não for melhor.

Como criador, você passa por muito coisa, mas sempre há um equilíbrio. É preciso encontrar esse equilíbrio. Caso contrário, você acabará passando muito tempo em seu quarto, longe da família e dos amigos, até se tornar muito prejudicial. Ao criar, é muito importante cuidar de si mesmo. Isso é fundamental: passe tempo com a família, tenha uma boa alimentação, levante e faça uma atividade física. Encontre aquele lugar feliz onde se mantém saudável enquanto trabalha duro, você vai adorar! Prometo!

[P]: Quais canais diferentes você tem?

[R]: Bem, tenho várias coisas, a ramificação é uma escolha inteligente em vez de ficar em uma única plataforma! Isso é importante na criação, você precisa sempre tentar fazer com que o maior público possível assista o seu material!

Tenho o meu canal principal na Twitch. Faço streams diárias por volta das 15h (PST). No momento, estou organizando uma programação legal para começar mais cedo durante o dia.

Também tenho meu canal no YouTube. Não publico vídeos no YouTube há mais de um ano, mas tenho planos de recomeçar, então, acompanhem!

Minha principal plataforma de mídia social é o Twitter. Lá você pode encontrar todas as minhas atualizações de última hora e todos os meus interesses. Também publico frequentemente vídeos curtos com os destaques das streams para o pessoal dar risada!

[P]: Qual foi o seu momento mais memorável no Sea of Thieves até hoje?

[R]: Há tantas memórias dos mares com tantos amigos! Me lembro da noite em que cheguei em Lenda dos Piratas com meu irmão, Krotukk. Nós dois chegamos em Lenda dos Piratas naquela noite vendendo UMA GALINHA DOURADA para a Aliança Mercante. Também me lembro de quando ensinei o SayHeyRocco a latir como um verdadeiro Lobo do Mar na Arena! Mas devo admitir que o momento mais memorável foi quando o Megalodon chegou pela primeira vez nos mares e eu roubei a Chalupa de algum pobre marinheiro. O Megalodon estava atacando os tripulantes do meu Galeão, então fiz o que qualquer outro pirata teria feito e mandei a Chalupa ir salvá-los! O dono da Chalupa acabou ressurgindo no barco, e enquanto eu tentava explicar a situação, o Megalodon apareceu bem ao lado, nos deu um susto e ainda mordeu o barco, matando nós dois. Gravei um vídeo de tudo e o fixei no meu perfil do Twitter.

[P]: Do que você gosta mais no jogo agora, e o que espera para o futuro?

[R]: Adoro o ponto em que o jogo está atualmente, progredimos muito! Literalmente qualquer coisa pode acontecer, é isso que me faz voltar quase todo dia. Você pode zarpar para buscar algumas Condecorações e depois acabar salvando do Kraken uma infeliz Chalupa tripulada por marujas inexperientes, afirmando que o Kraken levou suas perucas! Aliás, isso é uma história real. Encontrei duas irmãs em uma Chalupa e elas juram até hoje que o Kraken roubou suas perucas! Quando eu digo que qualquer coisa pode acontecer, falo sério.

Falando no Kraken, tem uma coisa que eu queria ver no futuro sobre ameaças em mar aberto. Já temos muitas ameaças aquáticas como o Megalodon, o Kraken e tripulações de esqueletos que surgem das profundezas. E se tivéssemos uma ameaça aérea? Sério, ouve essa! O Rugido do Diabo! Um inimigo antigo despertando de seu sono! Asas gigantes e flamejantes se abrem no pico do vulcão mais alto do Rugido! UMA FÊNIX FLAMEJANTE! Um inimigo tão grandioso que exigiria que a comunidade inteira trabalhasse em conjunto para derrotá-lo; precisaríamos de barcos para arpoá-la e retardá-la, e talvez causar mais dano puxando-a para a água! Tudo bem, vou relaxar agora, mas fica a ideia! Experiências como A Faminta estão entre meus momentos favoritos em Sea of Thieves e precisamos de mais coisas assim.

[P]: Existe alguma coisa específica que você sente orgulho de ter realizado jogando?

[R]: Na verdade, tem muita coisa que eu fiz jogando que eu teria orgulho de me gabar, como ter ficado em primeiro lugar geral nos placares de líderes dos últimos jogos que eu costumava jogar diariamente, ou todas as vezes que encontrei criadores famosos em diversos jogos e tive orgulho de ter morrido nas mãos deles. Tudo isso não significa muito no fim das contas, mas ainda são coisas que têm uma história por trás e é sempre legal relembrar.

Falando mais sério, acho que o que significa mais para mim no momento é o quanto progredi nos jogos e na comunidade de Sea of Thieves. Os jogos mudaram minha vida de tantas formas, mas nada foi mais marcante que a criação do Capitão. Ele é o personagem que criei para minhas streams de Sea of Thieves, e isso nunca foi algo que eu planejei. Era para ser apenas uma vez, nunca achei que fosse se tornar parte do meu cotidiano. Eu me lembro de quando conheci Joe Neate e Jon McFarlane na TwitchCon 2019 em San Diego, eu nunca havia ido a um evento desses antes. Foi a primeira vez que fiz algo tão grande e impactante, só pensar em me expor daquela forma foi um passo louco e enorme para mim, e eu fui vestido COMO O CAPITÃO! Foi minha primeira vez indo a uma convenção, fazendo cosplay e interpretando para a comunidade! Nunca teria feito isso sem o Sea of Thieves. Fiz questão de apertar a mão do Joe e do Jon e agradecer a eles por me dar um lugar em alto-mar para chamar de meu, pois provavelmente eu não estaria onde estou hoje se o Sea of Thieves não existisse. Estou feliz e orgulhoso pelo tanto que cresci nos últimos três anos graças a esse jogo.

[P]: Como você criou o nome do seu canal?

[R]: O engraçado é que, na verdade, foi minha mãe que inventou esse nome. Lá nos anos 90, quando a Internet estava bombando, eu devia ter uns 7 ou 8 anos, pedi à minha mãe para me ajudar a criar minha primeira conta de e-mail para poder me comunicar melhor com meu pai. Eu era só uma criança e não sabia que nome colocar no meu e-mail; então minha mãe, que sabia que a família significava tudo para mim, disse: “Que tal a gente chamar de Carrillogang, já que seu sobrenome é Carrillo e a gente está sempre junto, como uma família grande e feliz?” É claro que adorei a ideia e de cara disse SIM!

Então o tempo passou, os jogos online surgiram e dei meus primeiros passos no Xbox Live quando comprei meu Xbox 360. Eu não tinha planejado usar Carrillogang como gamertag quando criei a conta, originalmente era para ser algo como “Twisted Dude”, porque eu queria que fosse bacana, mas todas as formas dessa expressão que eu tentava davam na mensagem de erro “gamertag já em uso”. Resumindo, eu era jovem e impaciente, só queria jogar online! Fiz o que qualquer outro adolescente sem paciência faria e simplesmente comecei a apertar o botão A que nem louco, e de alguma forma minha conta usou como padrão o nome do meu e-mail como gamertag. Pensei: “tanto faz! É só mudar depois!” A coisa morreu aí, porque nunca mudei, o nome ficou comigo desde então. Acho que nunca vou mudá-lo.

[P]: Que conselho você daria a um criador de conteúdo novo?

[R]: Vai ser um caminho longo. Tenha paciência, nada acontece do dia para a noite. Aprimore sua arte, qualidade vale mais que quantidade. Aprenda cada detalhe, entenda com o que está trabalhando. Acima de tudo, CUIDE DE VOCÊ! Ninguém conta como é a vida de criador para valer. É muito solitária e é fácil criar hábitos ruins. Eu costumava ficar sentado no meu quarto de 8 a 14 horas por dia, gravando, editando, renderizando e carregando vídeos no YouTube, foi o estilo de vida menos saudável que já tive. Perdi tantas oportunidades de passar tempo com os amigos e a família, me tornei um recluso. Não que um estilo de vida solitário seja de todo ruim, mas quando se vive assim, sem comer direito e com pouca ou nenhuma atividade física, vira um problema. Manter uma saúde mental boa e forte é fundamental para manter uma jornada longa na criação de conteúdo. Muitas coisas promovem a saúde mental, incluindo a família, amigos, boa forma física e a saúde em geral, então cuide-se; você vai se surpreender com o quanto pode progredir no seu sonho.

[P]: Se você fosse apontar uma coisa para um criador de conteúdo não fazer, qual seria?

[R]: Não mergulhe em tudo de uma vez. Sei exatamente o quanto é empolgante no começo. Tomei muitas decisões ruins quando comecei a jornada, incluindo gastar demais, gastar um dinheiro que eu não tinha na época. Você precisa de poucas coisas para começar: um dispositivo para gravar, um microfone decente e Internet! Todo o resto é menos importante. Tem muita coisa que dá para fazer com esse essencial, então não saia gastando um monte de dinheiro em um microfone supercaro ou uma câmera logo de cara. Também não se perca nos números e estatísticas, é fácil você estragar seu humor com isso. É só se lembrar que todo mundo teve de começar em algum lugar.

Uma última coisa: não é uma competição. Você vai conseguir muitos amigos na sua jornada, vai ver muitos deles tendo sucesso, e é importante que você demonstre amor e apoio, não deixar que vire inveja. Estamos todos no mesmo caminho, todos lidamos com obstáculos diferentes, tratar isso como competição não é o jeito certo de lidar. Você não vai ter sucesso com essa mentalidade.

[P]: Pode nos contar mais um fato aleatório sobre você mesmo?

[R]: Bom, sempre fui apaixonado por música e em todos os anos que passei na escola, toquei algum instrumento nas bandas do colégio. Comecei com o saxofone quando era bem novo, no ensino médio virei meio que um percussionista, toquei nas baterias. Até aprendi a tocar guitarra sozinho quando tinha 12 anos. Já faz muito tempo que saí da escola, mas hoje minha paixão pela música ainda é forte como sempre. Já me diverti demais incorporando a música nas minhas streams diárias na Twitch, tocando guitarra ao vivo para quem está assistindo ou entoando canções de bordo enquanto navego pelos mares. Fico muito feliz por ter conseguido juntar e mostrar todos os meus talentos para os fãs. Levar isso para minhas streams tem sido um verdadeiro sonho e mal posso esperar para ver que outras coisas consigo trazer para meu conteúdo no futuro.


Esse foi o nosso Criador em Destaque de hoje. Agradecemos ao Capitão Carrillo por nos mostrar como é sua vida tanto como criador quanto como fã de Sea of Thieves! Se você vir um navio com um capitão muito bem vestido no leme, fique de olho!

Acompanhe todas as novidades de Sea of Thieves seguindo nossos vários canais sociais.